RSS

Basta! Não dá para tolerar o intolerável!

04 out

Por Renato Vargens
Martyn Lloyd Jones costumava dizer que todo falso ensinamento deve ser odiado e combatido. O Novo Testamento nos ensina que assim fez nosso Senhor e todos os apóstolos, e que eles se opuseram e advertiram as pessoas contra isso. Entretanto, em nome de uma espiritualidade barata isto não tem sido feito nos dias de hoje, até porque, para os religiosos de plantão, o mais importante é evitar constrangimentos.

Ora, o Senhor Jesus Cristo ao contrário da igreja pós-moderna denunciou os falsos ensinamentos e os falsos mestres. Inúmeras vezes Ele repreendeu os religiosos da época chamando-os de “lobos vorazes, sepulcros caiados e guias cegos”. Já Paulo, foi extremamente firme e duro em dizer que alguns tinham por Deus o seu próprio ventre.

Nessa perspectiva, a igreja de Cristo deveria refutar ensinamentos heréticos como: quebra de maldições hereditárias, troca de anjo da guarda, venda de orações por sete reais, adoração extravagante, unção do riso, do leão, do cachorro, da águia e de todo zoológico do Rio de Janeiro. Além disso, deveria repreender os comerciantes da fé, questionar os apóstolos modernos, confrontando seus ensinos distorcidos e anti-bíblicos.

Talvez ao ler este artigo você esteja dizendo com seus botões: Isso é exagero! Quem somos nós para julgar alguém? A Bíblia nos ensina que não podemos julgar ninguém, não é verdade? Não foi o Senhor que disse que não devemos julgar para que não sejamos julgados? Ora, quando o Senhor Jesus advertiu contra o juízo temerário (Mt 7:1-6), Ele não estava declarando pecaminoso e proibido toda e qualquer forma de juízo. Dentro do contexto de Mateus nosso Senhor nos induz a discernir quem é cão e porco para que não se desperdice a graça de Deus. Julgar não é pecado! Afinal o próprio Deus exerce juízo. Ele mesmo nos ordena exercer o discernimento, que, diga-se de passagem, é o dom mais ignorado, e talvez o mais odiado hoje em dia.

Vale a pena ressaltar que Cristo julgou os escribas e fariseus pelo seu comportamento hipócrita e doutrinariamente distorcido (Mt 23:1-36). Se o julgar não é o papel de um homem de Deus, então creio que tanto os profetas do Antigo Testamento como os apóstolos devem ser despidos deste título! O que falar então dos crentes de Béreia? Ora, diz a Bíblia que eles não engoliam qualquer ensinamento, antes pelo contrário, verificavam se o ensino estava de acordo com a sã doutrina.

O Apostolo Paulo disse ao escrever sua carta aos Coríntios: “Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.” I Co 5:9-13

Isto posto, rogo ao Senhor que nos livre de pregar e viver um evangelho politicamente correto , e que juntamente com isso tenhamos uma postura firme e corajosa diante das heresias que tem contaminado a igreja do Senhor.

Pense nisso!

Fonte: RENATO VARGENS

Anúncios
 
Comentários desativados em Basta! Não dá para tolerar o intolerável!

Publicado por em 04/10/2009 em POIMENIA

 

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: